Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

No Comments

Infográfico dos Acidentes de Trabalhos

OnSafety logo
Marcos Frota

Estamos de volta à segunda publicação da nossa série de Estatísticas sobre segurança e saúde no trabalho (se você ainda não checou a primeira publicação – Radar de Inspeção do Trabalho, que ainda está em execução lá), discutiremos a distribuição e as características deste post. de acidentes de trabalho. trabalhar no Brasil, experimente.

Acidentes do trabalho

Saúde e segurança no trabalho dentro de um setor exigem o planejamento, implementação, avaliação e melhoria de procedimentos que garantam ambientes de trabalho e a implementação de atividades industriais mais seguras e apropriadas para os funcionários e que garantam padrões mínimos de saúde e segurança no trabalho.

Um dos principais objetivos da saúde e segurança no trabalho é a redução de acidentes típicos de trabalho e / ou de doenças relacionadas ao trabalho, a eliminação de riscos de saúde e segurança e a implantação de funcionários na implementação de um plano de saúde. e política de segurança. Saúde e segurança no trabalho (SSO). Aspectos organizados e definidos como requisitos no modelo de gestão de SSO proposto pela ISO 45001: 2018.

Veja o primeiro post da série SST STATISTICS

A fim de desenvolver ações internas, os dados sobre saúde e segurança no trabalho devem ser analisados, os trabalhadores devem ser treinados e estar em conformidade com os padrões regulatórios (NRs) ou padrões específicos que estabeleçam requisitos mínimos para instalação, operação e manutenção de equipamentos, implementação de atividades em ambientes confinados, trabalhando em altura, manuseio, armazenamento ou transporte de produtos químicos, sob outras condições que causem ou causem acidentes no trabalho.

A dimensão do problema da falta de saúde e segurança no trabalho pode ser avaliada com base em dados do Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS, 2017), publicado pelo Ministério da Fazenda (MF / DATAPREV), que enfatiza que cerca de 549 mil acidentes de trabalho foram registrados no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em 2017 Aproximadamente 340 mil foram caracterizados como acidentes típicos, 100 mil como acidentes de trânsito e 9,7 mil doenças ocupacionais. Do total de acidentes registrados na CAT (450.614), o setor de serviços participou com 59,35%, a indústria com 37,22% e a agropecuária com 3,43%.

No mesmo período, foram registrados 2.096 óbitos em decorrência de acidentes de trabalho. Estatísticas críticas para o país em comparação com os países do continente europeu, que em 2016, 15 países, totalizaram 2.588 acidentes fatais, de acordo com a agência do Eurostat.

Em 2017, o número total de acidentes de trabalho foi maior para homens (66%) do que para mulheres (34%). Na distribuição dos acidentes de trabalho por sexo e tendo em conta a faixa etária dos trabalhadores, verifica-se que nos homens a maior incidência ocorre entre os 25 e 34 anos, num total de 32% dos acidentes (116.454). No sexo feminino, os eventos são mais concentrados entre as idades de 30 e 39 anos, o que significa que 33% dos acidentes industriais registrados pelas indústrias (61.365) se acumulam.

Ao considerar um período mais longo de acidentes relacionados ao trabalho (1997 – 2017), observa-se que o número de acidentes relacionados ao sexo está aumentando, exceto em períodos de recessão econômica, como em 2014, o que coincide com o aumento da taxa de desemprego. e a dificuldade de manter altos níveis de produção e investimento em setores industriais como construção, indústria e serviços.

Essa é uma situação que leva à redução da força de trabalho e, consequentemente, à exposição a riscos ocupacionais ou doenças no ambiente de trabalho. Além disso, a informalidade no mercado de trabalho está aumentando e os acidentes de trabalho provavelmente não estão mais registrados nos sistemas oficiais de controle previdenciário.

Na distribuição total de acidentes de trabalho registrados na CAT em 2017, principalmente no acidente típico, nota-se que é duas vezes maior para homens do que para mulheres.

A diferença nas estatísticas de gênero está relacionada a vários fatores, como os diferentes tipos de trabalho que homens e mulheres fazem e as próprias atividades industriais, conforme destacado pela agência européia EuroStat. No Brasil, há mais acidentes em mineração, construção civil, transporte de carga, trabalho agrícola, geração e distribuição de eletricidade, usinas de metal-mecânica, entre outras, que são predominantemente dominadas por homens.

A EuroStat também aponta que os homens geralmente realizam jornadas de trabalho mais altas em atividades industriais. Desta forma, o tempo de exposição a perigos ou situações inseguras no local de trabalho é maior para homens do que para mulheres e, portanto, reduz o risco de acidente no trabalho ou o desenvolvimento de doenças ocupacionais.

Em acidentes típicos relacionados ao trabalho, as partes mais afetadas do corpo são dedos, mão (exceto pulso ou dedos) e pé (exceto dedos), um total de 45,67% dos registros CAT (340,229) em 2017. Riscos de eliminação de queda no mesmo nível, queda de altura, desenvolvimento de sistemas de proteção de máquinas e equipamentos, substituição de ferramentas manuais, assim como o fornecimento, controle e inspeção diária do uso adequado de EPI são ações que reduzem acidentes típicos de trabalho no trabalho.

Nota-se também que do total de acidentes rodoviários registrados ocorreram cerca de 100 mil lesões em diferentes partes do corpo (11,90%), o pé (exceto formigas) – 8,77% e o joelho 8,66%). Em 2017, o número total de doenças ocupacionais registradas foi de 9.700, sendo a maior frequência problemas com as costas (incluindo músculos dorsais, coluna vertebral e medula espinhal), com 12,45% dos registros e sistema nervoso com 9,68% dos dados do grupo das doenças ocupacionais.

Observe que a boa saúde e segurança no trabalho no ambiente de trabalho mantém a integridade física e a saúde do trabalhador e aumenta a produtividade, reduzindo assim os acidentes de trabalho temporários.

A terceira edição da série vem na próxima semana para falar sobre o Cartão com acidentes industriais. Adeus!

Aproveite a nossa tecnologia, ajuda a impulsionar o desempenho do campo SST na indústria canal OnSafety. Nós também podemos agendar uma reunião para apresentar os benefícios OnSafety? Será uma conversa rápida e produtiva, CLIQUE AQUI.

  • 1- Radar da Inspecção do Trabalho;
  • 2- Infográfico dos Acidentes de Trabalho;
  • Mapa com acidentes no trabalho;
  • 4 profissões críticas para SST;
  • 5- Radar de segurança e saúde no trabalho.

Submit a Comment